Abrente

Ediçons digitais da publicaçom trimestral do nosso partido

Documentaçom

Textos e outros documentos políticos e informativos de interesse

Ligaçons

Sites recomendados de ámbito nacional e internacional

Opiniom

Artigos assinados sobre temas de actualidade galega e internacional

Video

Documentos audiovisuais disponíveis no nosso portal

Home » Notícias

BNG defende instalaçom de umha base militar imperialista na Límia

Domingo, 6 Março 2011

O grau de claudicaçom e de integraçom no regime do autonomismo galego é bem conhecido e evidente, mas por se ainda nom estiver suficientemente claro o abandono dos seus princípios e objetivos originários o BNG acaba de dar mais umha volta de porca nessa direçom ao reclamar a instalaçom de umha base militar imperialista no nosso país, em concreto no concelho de Trasmiras, na comarca da Límia.

O projeto, impulsionado polo consórcio europeu de aviaçom EADS e para o qual o Estado espanhol baralha também a opçom da Andaluzia, supom a criaçom de umha fatoria e base aérea militar de experimentaçom para a espionagem, base que estaria ao serviço do exército espanhol, do norte-americano e da NATO, braço armado do imperialismo ocidental que dirige a ocupaçom do Afeganistám e ameaça agora com umha intervençom militar na Líbia.

Será o senador do Bloque Xosé Manuel Pérez Bouza o encarregado de defender perante o governo espanhol e o ministério de Defesa a ubicaçom desta base na Galiza. Na rolda de imprensa em que foi apresentada esta iniciativa do autonomismo, Pérez Bouza defendeu a idoneidade de Trasmiras para o estabelecimento desta base, criticou o Partido Popular por nom implicar-se na sua defesa e solicitou que nom fossem critérios políticos inclinassem a balança em favor da Andaluzia.

Além de umha mostra do abandono das posiçons antiimperialistas doutros tempos, a posiçom do BNG também apresenta um outro aspeto que roça o surrealismo. Em favor da instalaçom da base em Trasmiras Pérez Bouza argumentou que a sua intalaçom em Andaluzia, na província de Huelva, ameaça o parque natural de Doñana. Esquece o senador autonomista a agressom ambiental que suporia a sua ubicaçom na Límia, um aspeto que já foi criticado por organizaçons ambientalistas e ecologistas como a SGHN ou mesmo ADEGA, estreitamente ligada à UPG-BNG.