Abrente

Ediçons digitais da publicaçom trimestral do nosso partido

Documentaçom

Textos e outros documentos políticos e informativos de interesse

Ligaçons

Sites recomendados de ámbito nacional e internacional

Opiniom

Artigos assinados sobre temas de actualidade galega e internacional

Video

Documentos audiovisuais disponíveis no nosso portal

Home » Notícias

Venezuela celebrou bicentenário da sua libertaçom do imperialismo espanhol

Quinta-feira, 22 Abril 2010

A República Bolivariana da Venezuela celebrou o passado domingo, 19 de Abril, o Bicentenário da sua libertaçom do jugo colonial espanhol organizando uns actos oficiais na capital, Caracas, em que se misturárom os desfiles das Forças Armadas e das milícias revolucionárias venezuelanas com actos festivos em que  o povo da Venezuela expressou o seu apoio ao projecto bolivariano e socialista que desde fai mais de dez anos construe frente a todas as dificuldades externas e internas.

À celebraçom também assistírom delegaçons de diversos países latino-americanos encabeçadas polos seus respectivos chefes e chefas de governo, caso da Cuba, Bolívia, Equador, Nicarágua, Argentina ou República Dominicana. Também o Brasil, México, Peru ou o Uruguai enviárom delegaçons a este acto, se bem de carácter menor.

De entre os discursos deste dia cumpre destacarmos as palavras do presidente Hugo Chávez, quem afirmou que nos encontramos diante do começo de um ciclo histórico que chegará até o ano 2030 e no qual “se afiançará a Revoluçom socialista, a independência plena e a unidade dos povos da América”.

Da Galiza saudamos com alegria estas celebraçons de todo o povo venezuelano, com o qual o nosso País mantivo e mantém intensos vínculos, e aguardamos que as palavras do comandante Chávez se convirtam aginha numha realidade o sonho de Simón Bolívar, do Che e de tantos e tantas outras que se erguêrom para combater o novo imperialismo estado-unidense que desde aquela primeira independência em 1810 oprimiu e espoliou os povos latino-americanos e para fazer da América Latina umha terra livre, solidária e justa.