Abrente

Ediçons digitais da publicaçom trimestral do nosso partido

Documentaçom

Textos e outros documentos políticos e informativos de interesse

Ligaçons

Sites recomendados de ámbito nacional e internacional

Opiniom

Artigos assinados sobre temas de actualidade galega e internacional

Video

Documentos audiovisuais disponíveis no nosso portal

Home » Nacional, Notícias

O BNG “solidariza-se” com Miguel Cáncio e assina com o PSOE e o PP umha condena do boicote das galinhas de AGIR

Quinta-feira, 18 Junho 2009Um Comentário

O BNG continua a “cobrir-se de glória” com as suas posiçons políticas. A última, o apoio ao professor universitário e conhecido activista galegófobo Miguel Cancio, que recebeu a “solidariedade” unánime dos três partidos com representaçom na cámara autonómica, graças aos votos do PSOE e do BNG a umha moçom do governante Partido Popular. Mas, qual foi o gravíssimo acto de terrorismo de baixa intensidade que provoca essa reacçom unánime dos três partidos?

Pois, simplesmente, que membros da entidade estudantil da esquerda independentista, AGIR, ceivárom no passado dia 18 de Maio duas galinhas na sala de aulas onde leccionava o colaborador de meios digitais ultras como “Libertad Digital” ou “España Liberal”, entusiasta defensor de ‘Galicia Bilingüe’ e declarado militante da imposiçom do espanhol na Galiza.

A acçom simbólica de AGIR pretendia, e conseguiu, dar a conhecer a posiçom marginal do nosso idioma na docência universitária, e a existência de professores como o ex-progre Miguel Cancio, que fam do combate ao galego parte do seu desempenho “profissional”.

Segundo o PP, o PSOE e o BNG, actos de denúncia como o protagonizado por AGIR no passado 18 de Maio som “inadmissíveis num Estado democrático”. Polos vistos, o acto foi contra o livre uso do idioma que cada qual pode fazer, e por isso “a Cámara deve fazer umha condena radical destes factos”, segundo dixo a representante do PP, cuja proposta contou com os votos unánimes três grupos parlamentares. Polos vistos, só o professorado tem direitos lingüísticos e o alunado universitário galego nom pode reclamar o seu inalienável direito a umha hoje quase inexistente docência no idioma do País.

Por seu turno, o representante do PSOE definiu o estudantado que protagonizou o acto de denúncia chamando-os “sujeitos detestáveis que violam a liberdade de expressom”. Também o “nacionalista” Alfredo Soares Canal confirmou o apoio do BNG à proposta do PP, afirmando que “o BNG estará sempre ao lado dos direitos e valores democráticos”. Quer dizer, ao lado do Partido Popular, claro…

Mais informaçons sobre o mesmo tema

A diferença está na mula. De “cuatro estupideces” a onze. Artigo do militante de AGIR Iago Barros (+…)

O “ex-rebelde” Miguel Cáncio, obrigado a suspender umha aula por um boicote de galinhas (+…)