Abrente

Ediçons digitais da publicaçom trimestral do nosso partido

Documentaçom

Textos e outros documentos políticos e informativos de interesse

Ligaçons

Sites recomendados de ámbito nacional e internacional

Opiniom

Artigos assinados sobre temas de actualidade galega e internacional

Video

Documentos audiovisuais disponíveis no nosso portal

Home » Opiniom

Aniversário de Lenine, cómico ou trágico?

Quarta-feira, 24 Janeiro 2018

Carlos Morais

21 de janeiro de 1924 falecia Lenine. Contrariamente ao seu desejo, o seu corpo foi momificado e depositado num mausoleu piramidal, situado no muro exterior do Kremlin.
94 anos após a sua morte, a sua figura representa o marxismo mais genuíno, a plena vigência da mais elaborada análise do capitalismo na sua fase imperialista, simboliza o direito à rebeliom de explorados e oprimidas, e a necessidade da insurreiçom operária como estratégia para a toma do poder pola classe trabalhadora visada à destruiçom do capitalismo e edificaçom da sociedade socialista.
Porém, se nom tivesse dramáticas consequências para o desenvolvimento da alternativa revolucionária comunista, nom passaria de anédotas cómicas observar como a “esquerda” pequeno-burguesa se aprópria da sua açom teórico-prática, esvaziando o seu conteúdo subversivo.
A vanguarda da classe operária organizada em partido comunista, tem umha tarefa imensa e insoslaiável que desenvolver e cumprir no século XXI: depurar o marxismo-leninismo das deturpaçons que o tenhem convertido num projeto amórfico, grotesco e inofensivo polas diversas variantes do revisionismo e o reformismo.
Sem lograr este objetivo, o proletariado seguirá incapacitado para derrotar a burguesia, os povos oprimidos nom atingirám a sua liberdade, e o capitalismo senil seguirá avançando na destruiçom do planeta e da humanidade.
Enquanto a imensa maioria dos que se declaram “comunistas” sigam instalados no eleitoralismo, alimentando o cretinismo parlamentar, agindo de muro de contençom da rebeldia, esterilizando as luitas populares, condenando a sua combatividade, a Revoluçom Socialista nom será viável.
A batalha ideológica é pois essencial para despreender-nos deste virus que se apoderou do marxismo, até converté-lo numha prolongaçom “progressista” do pensamento burguês.
A reconstruçom dumha nova corrente comunista na Galiza e a escala internacional, exige fugirmos da nostálgia paralisante, de leituras fossilizadas, de falsos antídotos frente à claudicaçom socialdemocrata, do confort das inércias que só nos conduzem à derrota.
Para restaurar os fundamentos do anticapitalismo, e portanto do Comunismo, temos que descontaminar o marxismo-leninismo.

Em Marx e Lenine acharemos a soluçom.