Abrente

Ediçons digitais da publicaçom trimestral do nosso partido

Documentaçom

Textos e outros documentos políticos e informativos de interesse

Ligaçons

Sites recomendados de ámbito nacional e internacional

Opiniom

Artigos assinados sobre temas de actualidade galega e internacional

Video

Documentos audiovisuais disponíveis no nosso portal

Home » Internacional, Notícias

Primeira Linha saúda 50 aniversário das FARC-EP

Terça-feira, 20 Maio 2014

unnamed

Caracas acolhe o vindouro sábado 24 de maio um conjunto de atividades comemorativas do meio século da fundaçom da guerrilha comunista das FARC-EP.

A jornada de solidariedade internacionalista está convocada sob a legenda “50 anos de resistência de um Povo” e conta com um intenso programa de atividades consistentes numha exposiçom fotográfica e projeçom de documentários, umha vídeo-conferência exclusiva, e um ato político no teatro Cantaclaro, do Partido Comunista da Venezuela.

Posteriormente terá lugar o primeiro Festival da solidariedade na praça Manuel  Marulanda do bairro “23 de Enero”.

A iniciativa está promovida polo Movimento Continental Bolivariano (MCB), Partido Comunista da Venezuela, Juventude Comunista da Venezuela, Coordenadora Simón Bolívar, Voces Antiimperialistas, Frente Nacional Comunal Simón Bolívar, Fundaçom Pakito Arriaran e Fundaçom Alexis Vive.

Reproduzimos a menssagem internacionalista emitida por Primeira Linha que será divulgada na capital da Venezuela.

 

Saudaçom comunista da Galiza rebelde e combativa ao 50 aniversário das FARC

Este 50 aniversário das FARC-Exército do Povo representa meio século de luita permanente e coerente em defesa do povo trabalhador colombiano, da sua soberania nacional, dos direitos conculcados e esmagados das mulheres, da juventude, de indígenas, afrodescendentes, das crianças condenadas à fame e exclusom social, em síntese, da Colômbia pobre e sem voz.

De um dos recantos mais ocidentais da Europa chamado Galiza, de imperecedeiros e inumeráveis vínculos com o continente americano, queremos saudar o conjunto das guerrilheiras e guerrilheiros das FARC-EP, as milícias bolivarianas, os seus comandos, o Estado Maior Central, o Secretariado, o Partido Comunista Colombiano Clandestino, e toda a Colômbia que luita contra a ditadura oligárquica e militarista que desangra o País e entrega os seus recursos às multinacionais.

Queremos transmitir a nossa admiraçom por estes 50 anos de persistente luita e combate, por serdes um exemplo de resistência tenaz, por manterdes em alto a rutilante bandeira vermelha de Marx e Lenine, por nom claudicardes nem renunciardes ao programa revolucionário alicerçado na mítica Marquetália e hoje mais vivo que nunca nas conversas de paz em Havana.

A Galiza comunista nom está hoje fisicamente presente neste teatro “Cantaclaro”, nem na praça Manuel Marulanda do bairro caraquenho “23 de enero”, mas está plenamente identificada com os objetivos e as razons destas jornadas, com esta homenagem ao melhor exemplo históricos de partido comunistas em armas.

Primeira Linha comparte com a insurgência colombiana os mesmos objetivos estratégicos de derrotar o capitalismo e construir umha nova sociedade baseada na igualdade e a liberdade, um mundo sem exploraçons, sem opressons nem dominaçons. O comunismo é pois o nexo de uniom das nossas respetivas organizaçons.

Mas nom só. Compartilhamos com as FARC um insubornável compromisso com as reivindicaçons e os sonhos dos nossos respetivos povos. O respeito e a solidariedade com todas as luitas que em qualquer recanto do mundo procurem umha sociedade nova, um novo mundo.

Assim o levamos fazendo desde sempre. Primeira Linha tem estado sempre apoiando a luita da Colômbia de Jacobo Arenas, de Raúl Reyes, de Manuel Marulanda, de Alfonso Cano e do Mono Jojói. No nosso país, combatendo a manipulaçom e as falácias, divulgando as sólidas razons que ssutentam 50 heroicos anos de confrontaçom político-militar.

Na América insurgente, na América e nas Caraíbas de Bolívar, de Manuelita Saéz, de Farabundo Martí, de Augusto César Sandino, de Carlos Mariátegui, de Camilo Torres, de Francisco Caamaño, do Che, de Vilma Espín, de Chávez, de Fidel, divulgando e procurando apoios à luita pola independência do nosso povo e denunciando o imperialismo espanhol.

Vós, desde o primeiro momento, nom só compreendestedes a nossa causa, como a apoiastes publicamente. Isto é um nexo indestrutível que nos une eternamente.

Porque, camaradas, @s comunistas galeg@s mantemos a mesma luita contra o imperialismo espanhol, combatemos idêntico inimigo que Bolívar venceu há mais de 200 anos.

Desta montanha insurgente chamada Galiza, queremos aderir a esta jornada de solidaredade internacionalista, saudar o conjunto das organizaçons revolucionárias que organizam estes atos, o Movimento Continental Bolivariano, a Coordenadora Simón Bolívar, a Fundaçom Alexis Vive, o Partido Comunista da Venezuela, a Juventude Comunista da Venezuela, a Frente Comunal Nacional Simón Bolívar,  Voces Antiimperialistas, Pakito Arriarán, e encaminhar um abraço comunista galego aos comandantes Timoleón Jiménez, Iván Márquez, Ricardo Téllez, Jesús Santrich, Pablo Catatumbo, Andrés París, Marco Calarcá, mas também aos dirigentes revolucionários Carlos Casanueva, Narciso Isa Conde, Óscar Figueras, Robert Longa.

Estam@s convencid@s, estamos segur@s que, mais cedo que tarde, o povo trabalhador colombiano conquistará o poder político e começará a construir a Colômbia soberana e socialista. E nós, da Galiza, acompanharemos como até agora figemos, esta epopeia.

Viva a luita do povo trabalhador colombiano!

Vivam as FARC-EP!

Antes mortos que escravos!

Comunismo ou caos!

Até a vitória sempre!

Carlos Morais

Secretário geral de Primeira Linha

Galiza, 20 de maio de 2014