Abrente

Ediçons digitais da publicaçom trimestral do nosso partido

Documentaçom

Textos e outros documentos políticos e informativos de interesse

Ligaçons

Sites recomendados de ámbito nacional e internacional

Opiniom

Artigos assinados sobre temas de actualidade galega e internacional

Video

Documentos audiovisuais disponíveis no nosso portal

Home » Em destaque, Nacional, Notícias, Video

CIG celebrou VI Congresso Nacional

Quinta-feira, 30 Maio 2013

“É necessário. É possível. Organizaçom, luita e soberania” foi a legenda escolhida para realizaçom do VI Congresso Nacional da CIG que decorreu em Compostela 25 e 26 de maio.

O acordo ao que chegárom a prática totalidade das correntes que trabalham de forma organizada na central sindical nacional e de classe, para confecionar candidaturas unitárias aos diferentes organismos, provocou que apenas houvesse debate ideológico, facto que se ve refletido no baixo número de emendas apresentadas aos diferentes documentos a debate. A aprovaçom do informe de gestom dos últimos quatro anos seguiu a mesma linha, e contou com um respaldo de perto do 87% e tam só com certas críticas locais.

Assim as jornadas de debate apenas mudárom os textos apresentados inicialmente. Como aspectos mais relevantes cabe assinalar a aprovaçom dumha emenda que vai introduzir a nível estatutário o direito a organizar-se em correntes sindicais dentro da CIG, e que nom fai mais que plasmar umha realidade que já era inerente à própria central sindical desde o seu nascimento.

Também se vam a introduzir algunhas mudanças na organizaçom da mocidade obreira, e se bem nom se aplicará o princípio de auto-organizaçom da juventude dentro da CIG, supom um pequeno avanço pois passará-se das estruturas atuais tuteladas, a outras nas que se bem serám jovens menores de 30 anos os responsáveis tanto a nível comarcal, setorial ou nacional, a eleiçom dos mesmos dependerá dos quadros sindicais de até 30 anos.

Durante as duas jornadas boa parte das intervençons centrarom-se no repasso a linha sindical defendida durante os últimos anos e na defesa dum sindicalismo combativo e nom pactista, que preste especial atençom aos segmentos populares mais agredidos: desempregadas/os, jovens, mulheres ou os reformados/as, assim como a pessoas afectadas polos despejos bancários ou as preferentes.

Soberania nacional

A opressom nacional da Galiza também estivo moi presente e ligada à questom de classe. Tanto os próprios textos como as intervençons centrarom-se na reclamaçom de mais soberania para Galiza e o direito a decidir das galegas e galegos, com o objetivo de criar um Estado próprio. Nesta linha cabe destacar umha emenda feita ao relatório de açom sindical na que se aprovou enquadar a CIG dentro do movimento de libertaçom nacional galego em substituiçom da CIG como parte do movimento nacionalista galego.

Maior combatividade

A valorarizaçom positiva da linha sindical seguida pola CIG os últimos quatro anos, que refletiam as intervençons da direçom da CIG e do próprio secretário geral, Suso Seixo, choca com a opiniom de qualificados setores de militantes que precisamente reclamárom umha maior combatitividade por parte da central sindical, ou umha linha de continuidade nas jornadas de luita e greves gerais, num momento no que estamos perante o maior ataque nos últimos trinta anos contra a classe trabalhadora deste país.

Nova Executiva Confederal e resoluçons

O VI Congresso rematou com a eleiçom da nova Executiva Confederal, e a releiçom de Suso Seixo como secretário geral. Posteriormente fôrom aprovadas diversas resoluçons, a favor dos serviços públicos, do ensino, da nossa língua, da situaçom dos presos independentistas galegos, em contra dos macro-projetos de exploraçom mineira, em prol da Greve Comarcal em Trasancos o dia 12 de junho…

NÓS-UP entre as organizaçons convidadas no ato de clausura

Destacar o importante número de delegaçons sindicais de ámbito internacional convidadas que participárom no ato de encerramento. 26 organizaçons obreiras tanto de Portugal, Euskal Herria, Catalunya, e outros países da Europa, Canárias, América, África, assim como da FSM (Federaçom Sindical Mundial) ou a CSPLP (Confederação Sindical dos Países de Língua Portuguesa). No caso de Galiza participárom um total de 25 delegaçons representando organizaçons políticas, sociais ou culturais, entre as que cabe sinalar a participaçom, por primeira vez num congresso nacional da CIG , de NÓS-UP, que foi recebida com gritos de independência por parte dos delegados e delegadas que participárom no ato de encerramento.

Com a interpretaçom do nosso hino nacional por parte dos centenares de trabalhadores e trabalhadoras que lotavam as instalaçons do Paço de Congressos finalizou VI Congresso Nacional da CIG.