Abrente

Ediçons digitais da publicaçom trimestral do nosso partido

Documentaçom

Textos e outros documentos políticos e informativos de interesse

Ligaçons

Sites recomendados de ámbito nacional e internacional

Opiniom

Artigos assinados sobre temas de actualidade galega e internacional

Video

Documentos audiovisuais disponíveis no nosso portal

Home » Em destaque

NÓS-UP reclama a imediata demissom do governo espanhol e aposta por um processo de ruptura democrática

Segunda-feira, 4 Fevereiro 2013

A organizaçom política de massas da esquerda independentista, NÓS-Unidade Popular vem de emitir um posicionamento nacional perante a situaçom que se vive no corrupto regimem monárquico espanhol. Polo seu interesse reproduzimos a continuaçom na integra.

Estado espanhol, um projeto apodrecido e esgotado: Pola demissom do Governo e a abertura de um processo de ruptura democrática

A situaçom que se vive no Estado espanhol, com umha crise económica, política e institucional sem precedentes desde a Restauraçom monárquica imposta por Franco, alcança níveis intoleráveis de descomposiçom, acelerada desde a chegada ao poder da direita filofranquista representada polo Partido Popular.

O Estado espanhol conta hoje com os piores dados económicos da Uniom Europeia em parámetros fundamentais como o desemprego e a precariedade; está nos primeiros postos quanto a índices de corrupçom do continente, segundo o ranking elaborado pola ONG “Transparência Internacional”; vive um processo de recentralizaçom liderado polo PP para tentar impor a espanholizaçom da Galiza e das restantes naçons oprimidas polo Reino de Espanha.

Depois de um ano e meio de radical ofensiva neoliberal, privatizadora e de corte de direitos sociais e laborais, nom só nom houvo nengum resultado postivo na saída da crise. Agora sabemos que os membros do Governo espanhol que imponhem essa via, com o presidente Mariano Rajoi à cabeça, levam anos enriquecendo-se com comissons ilegais de grandes empresas da construçom.

Todo o anterior configura umha situaçom de grave crise do modelo imposto à morte do ditador, que mete água de maneira clara e anuncia um naufrágio iminente.

A velocidade com que se sucedem as provas que confirmam a irreversível degeneraçom do sistema de democracia formal burguesa ameaça com colapsar o regime e situa à nossa frente cenários contraditórios que podem ir de umha aberta fascizaçom à necessária ruptura democrática pendente, que a esquerda independentista sempre defendeu.

É fundamental, neste cenário, que os diferentes setores que configuramos a esquerda social e política galega, que acreditamos num futuro de liberdade e de direitos para o nosso povo, confluamos numha estratégia que permita passar à ofensiva com a rua como protagonista principal.

Frente ao grande capital espanhol e aos seus aliados políticos, hoje empoleirados em todos os postos de poder na Galiza e no Estado, o povo galego deve avançar na auto-organizaçom e mobilizaçom pola ruptura com o atual regime, decadente, corrupto, inimigo dos direitos e das liberdades.

NÓS-Unidade Popular mostra a sua disposiçom para articular um amplo movimento de massas pola ruptura com Espanha, com a independência nacional e o socialismo como objetivos finais, num processo que o conjunto do nosso povo trabalhador deve liderar.

Nesse caminho, reclamamos a imediata demissom do atual governo espanhol e do seu presidente, incapacitados para se manterem no poder.

Ao mesmo tempo, alertamos sobre soluçons ainda mais involucionistas e eventuais saídas em falso tipo “governo de concentraçom” ou “de tecnocratas”; saídas já ensaidas em países como a Grécia ou Itália, e que a oligarquia poderá utilizar para tentar enganar os povos do Estado espanhol e neutralizar a onda de contestaçom que virá das ruas.

A saída à crise atual passa pola ruptura democrática, mediante a abertura de um processo constituinte com os povos como protagonistas para construir um futuro de liberdade nacional e social de género. Umha ruptura com a oligarquia e com o capitalismo espanhol, incapazes de liderar qualquer regeneraçom democrática real.

No caso da Galiza, a soberania nacional plena, longe de ser postergada para tempos melhores como algumhas vozes parecem apontar, deve ocupar um lugar de destaque. É o momento de dar passos determinantes na socializaçom desse princípio como base para um futuro de justiça social e liberdade nacional para o nosso povo.

Espanha é a nossa ruína!

Adiante pola ruptura democrática!

Pola independência nacional e o socialismo!

Direçom Nacional de NÓS-Unidade Popular

Galiza, 1 de fevereiro de 2013