Abrente

Ediçons digitais da publicaçom trimestral do nosso partido

Documentaçom

Textos e outros documentos políticos e informativos de interesse

Ligaçons

Sites recomendados de ámbito nacional e internacional

Opiniom

Artigos assinados sobre temas de actualidade galega e internacional

Video

Documentos audiovisuais disponíveis no nosso portal

Home » Em destaque

Novo julgamento político: independentistas enfrentam 17 anos de prisom

Segunda-feira, 5 Novembro 2012

O próximo 8 de novembro, Compostela acolherá um novo julgamento político contra o independentismo. Nesta ocasiom, Brandám, Simom e Raúl enfrentam umha petiçom de 17 anos de prisom acusados de ter participado na resposta à violência policial despregada contra as mobilizaçons juvenis na noite de 24 de julho do passado ano. BRIGA, a organizaçom à que pertencem dous dos três indpependentistas que serám julgados, convoca umha concentraçom de solidariedade no mesmo dia 8 às 9h30.

8 de novembro: juízo a três militantes independentistas por participar na jornada de luita de 24 de julho de 2011

Simom e Brandám som dous jovens de extremos geográficos opostos: o primeiro provém da Galiza meridional minhota, enquanto o segundo é natural da Galiza marinhá mais septentrional. Graças a BRIGA, à autoorganizaçom juvenil independentista, ambos conhecem-se e fam parte dum cativo setor da mocidade que, consciente da sua opressom, decide organizar-se para plantar cara aos inimigos do povo trabalhador. Som exemplos da Galiza viva que luita, que se reconhece de norte a sul como sujeito nacional de confronto contra o capital e o patriarcado.

Porém, como militantes dumha entidade revolucionária, também conhecem de primeira mao e de forma partilhada a vivência de experiências repressivas. Conhecem-se no orgulho da militáncia, mas também na dureza da repressom. Com apenas 22 e 19 anos, som processados sob acusaçom de graves altercados vinculados à jornada de luita que BRIGA promoveu o 24 de julho de 2011. Além dos nossos companheiros, Raúl, um outro militante independentista detido naquela noite do dia da Pátria também será enjuizado por semelhantes factos.

As penas solicitadas pola procuradoria, umha instituiçom de natureza política dependente dos partidos do poder, fam referência aos delitos de desordens públicas, danos e atentado à autoridade, nos últimos tempos tam aludidos polo sistema repressivo. Em soma, quase 17 anos de prisom para os três companheiros por reinvindicar dignamente num dia tam assinalado a sua vontade de continuar a ser galegos que nom se resignam à dura realidade que lhes oferece Espanha e o capitalismo.

BRIGA já denunciou no seu dia o jornal espanholista sediado em Compostela El Correo Gallego por ter difundido, o dia 25 de julho daquele ano, umha nova em que atribuia a jovens da nossa organizaçom feitos que nom se produzírom, proferindo graves calúnias que coalham entre os seus leitores e leitoras favorecendo um clima de criminalizaçom que acaba em sérios prejuízos para a juventude independentista.

BRIGA é, na figura destes companheiros, vítima dumha duríssima perseguiçom policial amparada pola procuradoria de Compostela. O dia 8 de novembro começa um julgamento em que BRIGA leva o nome de Simom, Brandám e Raúl. E estes levam na sua pena “de banco de acusados” a resistência da Galiza rebelde que nom vai permitir que nos metam um gol com semelhante desprezo à verdade. É um julgamento político em que o que está em causa é o seu compromisso. O objetivo: acovardar a juventude nesta sinistra maré de miséria com que Espanha se abate sobre as nossas costas.

CONCENTRAÇOM SOLIDÁRIA: 8 DE NOVEMBRO ÀS 09.30h NOS JULGADOS DE COMPOSTELA

NOM À REPRESSOM CONTRA A JUVENTUDE REBELDE!!

SIMOM, BRANDÁM E RAÚL: ABSOLVIÇOM!!