Abrente

Ediçons digitais da publicaçom trimestral do nosso partido

Documentaçom

Textos e outros documentos políticos e informativos de interesse

Ligaçons

Sites recomendados de ámbito nacional e internacional

Opiniom

Artigos assinados sobre temas de actualidade galega e internacional

Video

Documentos audiovisuais disponíveis no nosso portal

Home » Nacional, Notícias

Decorreu em Vigo apresentaçom do último livro de Miguel Urbano Rodrigues

Quinta-feira, 1 Novembro 2012

Tal e como tinhamos anunciado neste portal, o passado sábado dia 27 decorreu no centro social Lume! o ato de apresentaçom do último livro de Miguel Urbano Rodrigues, intitulado Enqualto a memória responde. A seguir reproduzimos a crónica realizada polo Lume! sobre o ato.

Crónica: Miguel Urbano apresentou Enquanto a memória responde

Dúzias de pessoas ateigárom no serám do sábado 27 de outubro o centro social Lume! para assistir à apresentaçom do último livro de Miguel Urbano Rodrigues.

Com máxima pontoalidade Ilduara Medranho deu a palavra Carlos Morais, encarregado de realizar umha introduçom ao livro do veterano jornalista e militante comunista português.

Posteriormente Miguel Urbano, após manifestar a sua satisfaçom por poder estar novamente na Galiza, realizou umha breve exposiçom sobre as motivaçons de Enquanto a memória responde, para dar passo a um longo colóquio de mais de duas horas onde respondeu a diversas inquietudes das pessoas presentes.

Miguel transmitiu a sua opiniom sobre a refundaçom da equerda, a necessidade da coordenaçom internacional das luitas, a evoluçom e tendências em curso da Revoluçom cubana, a percepçom do povo português sobre a realidade nacional da Galiza, o processo de negociaçom das FARC-EP com o governo colombiano, a situaçom e futuro da revoluçom bolivariana.

A apresentaçom de Enquanto a memória responde foi um ato de afirmaçom revolucionária, da vigência do marxismo-leninismo, da máxima urgência de seguir construindo partidos comunistas para luitar contra a ofensiva burguesa e pola Revoluçom socialista, descartando o eleitoralismo e preparando o movimento obreiro e popular para tomar o poder.