Abrente

Ediçons digitais da publicaçom trimestral do nosso partido

Documentaçom

Textos e outros documentos políticos e informativos de interesse

Ligaçons

Sites recomendados de ámbito nacional e internacional

Opiniom

Artigos assinados sobre temas de actualidade galega e internacional

Video

Documentos audiovisuais disponíveis no nosso portal

Home » Documentaçom, Nacional, Notícias

Comunicado a respeito detençons de independentistas. Repressom espanhola fracassará na estratégia contra a Galiza insurgente

Segunda-feira, 5 Dezembro 2011

1- Primeira Linha manifesta solidariedade revolucionária com @s seis militantes independentistas detid@s nos últimos dias em diversos pontos da geografia nacional.

Transmite a familares e amizades do Eduardo, Teto, Jessi, Cata, Antom e Maria o nosso apoio, ánimo e adesom nestes duros momentos.

2- Solicitamos a imediata liberdade de todos e todas e elas, à vez que exigimos das autoridades espanholas plenas garantias para a sua integridade psicológica e física.

3- A operaçom policial e mediática em curso pretende atemorizar a Galiza rebelde e combativa, a que nom se ajoelha docilmente nem se submete mansamente aos ditados do Estado imperialista espanhol.

4- Denunciamos o infame tratamento mediático desenhado polos gabinetes de imprensa do Ministério espanhol do Interior, baseado no linchamento das companheiras e companheiros detidos, assim como da família de Santiago e Eduardo Vigo, submetida a umha repugnante e cruel violaçom da sua intimidade por parte da direçom da TVG e dos “jornalistas” que, saltando os códigos de conduta da profissom, intimadárom e filmárom a imensa dor de quem tem os seus seres mais queridos nas garras do inimigo.

4- Esta nova operaçom repressiva enquadra-se numha estratégia contrainsurgente que pretende eliminar os núcleos mais combativos e conseqüentes do povo trabalhador galego.

Mas, perante a agudizaçom das contradiçons provocadas pola grave crise sistémica do capitalismo que golpeia com dureza nas condiçons de vida e de trabalho da imensa maioria do povo trabalhador, perante a agudizaçom dos mecanismos de opressom nacional que buscam exterminar o projeto nacional galego, é cada vez maior o número de compatriotas que acreditam que só fica o caminho da luita organizada contra Espanha e o Capital.

5- Porque após 30 anos de farsa autonómica, e uns poucos mais do regime emanado da operaçom de reforma do franquismo, as alternativas conciliadoras e reformistas fracassárom estrepitosamente. As dúzias de processos eleitorais burgueses só trouxérom mais dominaçom e exploraçom para a nossa pátria e a nossa classe.

6- A Pátria está à beira do abismo pola pressom assimilacionista espanhola; a classe obreira retrocedeu décadas em direitos, liberdades e condiçons; as mulheres padecem o reforçamento dos mecanismos de dominaçom patriarcal.

Perante este panorama e frente ao apocalíptico futuro que nos querem impor, a Revoluçom Galega é a única saída viável para evitar a derrota da Galiza e do seu povo na maré reacionária e neofascista exportada pola Uniom Europeia via Espanha.

6- A vaga repressiva deve ser respondida de forma unitária e maciça polo conjunto do movimento popular galego que nom se deixou vender por um punhado de euros nem polos flashes dos meios de (des)informaçom da burguesia espanhola.

O nosso partido manifesta publicamente a sua total disponibilidade para participar na imprescindível resposta de massas a tanta intoxicaçom, manipulaçom e repressom.

7- A resistência e a luita obreira, nacional e popular é um direito dos povos livres com firme determinaçom a nom se deixar derrotar.

Um setor do povo galego tem, temos, a firme determinaçom de combater sem trégua por um futuro de liberdade e emancipaçom. No caminho encontraremo-nos todas e todos os que consideramos que luitar é um dever.

Pátria, Socialismo ou morte! Venceremos!

Denantes mort@s que escrav@s!

A luita é o único caminho!

Viva Galiza ceive, socialista e feminista!

Comité Central de Primeira Linha

Galiza, 4 de dezembro de 2011