Abrente

Ediçons digitais da publicaçom trimestral do nosso partido

Documentaçom

Textos e outros documentos políticos e informativos de interesse

Ligaçons

Sites recomendados de ámbito nacional e internacional

Opiniom

Artigos assinados sobre temas de actualidade galega e internacional

Video

Documentos audiovisuais disponíveis no nosso portal

Home » Nacional, Notícias

BRIGA apela à juventude galega à abstençom 20-N

Quarta-feira, 16 Novembro 2011

A organizaçom juvenil da esquerda independentista vem de emitir um posicionamento público apelando aos e às jovens a nom votar o próximo domingo. BRIGA afirma que ” O jogo nom se ganha o 20 de novembro. A batalha é a longo prazo e nom permite distraçons nesta feira em que nom há programas que fagam do independentismo, o socialismo e o feminismo os sinais de identidade dumha nova Galiza.”

Polo seu interesse reproduzimos integramente o comunicado:

Eleiçons espanholas: organizaçom e abstençom

Pola primeira vez desde entom, o sistema socioeconómico chamado capitalismo está em crise estrutural, sem perspetivas de melhora, e colocando as conquistas sociais e operárias no alvo de contínuas políticas orçamentárias de contençom do gasto público consagradas pola reforma express da Constituiçom espanhola.

PP e PSOE, únicos partidos com opçons de formar governo após as eleiçons, discutem sobre os gestos. Sobre o verniz das reformas. Sobre o discurso para abençoá-las. Mas som incapazes de propor alternativas. Som, os dous, partidos integralmente burgueses, totalmente supeditados aos interesses das classes ladroas dominantes que lhes permetem funcionar como tais macroorganizaçons que manejam milhons de euros para alimentar o seu inmenso arcabouço. Som parte do sistema que nós queremos destruir.

Com qualquer-um deles continuará a linha tracejada na última reforma laboral (há mais de 13 meses) que recortando direitos d@s trabalhadores/as com a justificaçom da criaçom de emprego, tem percorrido estes tempo conseguindo a primeira parte (ataque à classe trabalhadora) e sem avançar na segunda (criaçom de emprego).

Também se apresentam outras candidaturas, cuja concorrência discorre sob o argumento de acabar com o bipartidismo e refusar estas políticas neoliberais. Mas… como manter-se à margem delas sem questionar todo o sistema de arriba a baixo? Como evitar a ditadura dos mercados se nom o é com a do povo trabalhador? Aonde nos levam as boas intençons sem consciência revolucionária?

Nós queremos outra ética. Outras propostas, que nom cabem no estreito espaço dos discursos prefabricados, das frases recorrentes e da crítica construtiva a como vam as cousas sem mencionar quem som os inimigos. Sem mencionar claramente quem deve protagonizar a transformaçom.

Queremos que a juventude que medra na Galiza deste sêculo empeze a beber de novos mananciais. Quanto antes nos decatemos de que o capitalismo faliu, antes avançaremos na difícil mas fermosa tarefa de construir um futuro radicalmente novo. Antes pararemos as milhons de desgraças humanas que gera este sistema que emana injustiça e corrupçom desde a sua própria médula.

Chamamos a juventude a nom votar nesta ocasiom. A fazê-lo 365 dias ao ano nas urnas da autoorganizaçom democrática e transformadora. Na luita, no debate e na formaçom constantes por mudar o mundo. O jogo nom se ganha o 20 de Novembro. A batalha é a longo praço e nom permite distraçons nesta feira em que nom há programas que fagam do independentismo, o socialismo e o feminismo os sinais de identidade dumha nova Galiza.

ORGANIZA-TE E LUITA!