Abrente

Ediçons digitais da publicaçom trimestral do nosso partido

Documentaçom

Textos e outros documentos políticos e informativos de interesse

Ligaçons

Sites recomendados de ámbito nacional e internacional

Opiniom

Artigos assinados sobre temas de actualidade galega e internacional

Video

Documentos audiovisuais disponíveis no nosso portal

Home » Nacional, Notícias

Milhares de docentes saem à rua em Compostela contra as agressons do PP ao ensino público galego

Quarta-feira, 29 Junho 2011

Umha grande manifestaçom convocada unitariamente polas entidades sindicais mobilizou na manhá de hoje milhares de professores e professoras na capital da Galiza, contra a eliminaçom de postos de trabalho, o aumento da carga horária letiva e o alargamento de funçons impostas ao professorado público galego.

A manifestaçom de hoje rejeitou em primeiro lugar a modificaçom do horário letivo do professorado e exigiu respeito polo acordo assinado por sindicatos e administraçom em 2007, relativo às ratios entre alunado e professorado para garantir a qualidade do ensino. O acordo foi unilateralmente incumprido pola Conselharia que dirige Jesus Vasques, para facilitar o fechamento de unidades, eliminar postos de trabalho docentes e, através da precarizaçom da qualidade do ensino público, favorecer o privado e privado concertado, que nom se verá afetado polas medidas anunciadas polo PP.

Todas as organizaçons sindicais participam de maneira unitária na resposta à ofensiva do governo autónomo, sendo a manifestaçom de hoje a primeira resposta de massas. O anúncio das agressons mesmo antes de o ano letivo concluir tentou evitar qualquer resposta significativa por parte do professorado, apesar do qual hoje sim foi possível encenar o rejeitamento do pessoal docente dos diferentes níveis e corpos: infantil, primário, secundário, ensinanças especiais… todos se veem afetados polas medidas de ajuste, que dam continuidade aos cortes nos salários do funcionariado público no ano passado e à reduçom de pessoal serviços, junto ao aumento dos horários letivos docentes, impostos nas escolas oficiais de idiomas no passado ano letivo.

Milhares de postos de trabalho estám a ser eliminados num setor fundamental para o desenvolvimento do País, como é o do ensino, fechando-se centros e massificando-se as turmas com o deslocamento de alunado procedente dos centros fechados ou com reduçom de oferta educativa. Um primeiro ensaio nessa direçom está a ser aplicado já nas comarcas de Vigo e de Ferrol no ámbito do ensino secundário e de Formaçom Profissional, provocando o rejeitamento unánime da comunidade educativa.

Boa resposta anuncia dinámica mobilizadora, incluídas greves

Representantes sindicais do professorado anunciárom hoje a continuidade da dinámica mobilizadora no início do próximo ano letivo, no mês de setembro, que poderá ver-se marcado polo conflito provocado polas medidas impostas polo governo autónomo do PP, que está mesmo a substituir as correspondentes mesas setoriais polos meios de comunicaçom na hora de anunciar novas medidas contra o ensino público.

Resta agora comprovar o que vai durar a unidade de açom sindical e quando começará a cooptaçom das agrupaçons amarelas integradas na dinámica unitária neste início da luita dos trabalhadores e trabalhadoras de um serviço público fundamental como é o educativo. Porém, representantes sindicais anunciárom no mesmo dia da grande manifestaçom em Compostela novas mobilizaçons e greves para o mês de setembro. Concretamente, no dia 9 haverá umha nova manifestaçom na capital galega e nos dias 21 e 27 poderia haver greves do ensino nom universitário se o governo nom retificar as medidas anunciadas.